Câmera Record apresenta os perigos dos balões

Na Tela da Record:Nesta sexta-feira, dia 14/03, as câmeras do jornalístico da RECORD mostram os perigos que os balões podem causar.

Explosão. Incêndio. Violência. Vandalismo. Perigo. Tragédia. Tudo isso está no caminho dos balões. Mas ele está enraizado nas tradições brasileiras. O Câmera Record pergunta: até que ponto o prazer de soltar balões pode justificar o risco que eles representam?

Soltar balões é uma atividade clandestina. Aos olhos da lei, é crime. Os baloeiros defendem a prática dizendo que os balões caem apagados. A atração da RECORD teve acesso a vídeos amadores, muitos deles gravados pelos próprios baloeiros, que mostram o contrário. São dezenas de flagrantes, imagens assustadoras de balões caindo e pegando fogo sobre casas, matagais e prédios.

O Câmera Record descobriu que refinarias se mantêm em estado de alerta permanente contra esses acidentes. A de Cubatão, em São Paulo, tem 100 homens trabalhando em sistema de revezamento. Com a ajuda de 36 câmeras, eles procuram no céu por sinais de perigo, antes que os reservatórios de combustível sejam atingidos em terra. O jornalístico desvendou também que o aeroporto de Congonhas, em São Paulo, já foi fechado por causa da queda de balões na pista. E que o de Cumbica, em Guarulhos, o maior em volume de vôos no Brasil, também sofreu ameaças desses gigantes.

Por que os balões despertam tanto facínio? Os repórteres do Câmera Record acompanham o processo de fabricação e soltura de um balão em São Paulo. Oito mortes. O acidente mais grave com balões aconteceu na capital paulista. Os baloeiros preparavam os fogos de artifício dentro de uma casa quando aconteceu uma explosão.

Coloridos. Imponentes. Fascinantes. Segundo estatísticas do corpo de bombeiros de São Paulo, em 2006 foram 130 incêndios causados por balões. No ano passado, foram 150 ocorrências só no primeiro semestre. O culto à beleza dos balões vale o perigo?


O Câmera Record vai ao ar hoje às 23h00.

Fonte:Rede Record/Imagem:Google

1 Comentários:

15 de março de 2008 09:42 Anônimo disse...

A VERDADE sobre balões e baloeiros...


1. Balão não leva botijão de gás, e sim uma tocha (bucha) feita com algodão especial ou papel higiênico, molhada em parafina.
2. Balão é feito em muitos países ( Espanha, Itália, Venezuela) , mas apenas no Brasil é recriminado ( na Espanha é ensinado na escola como confecciona-lo).
3. Em sua confecção é usado apenas material de primeira ( não como de segunda como nos Edifícios Palace I e Palace II ), pois queremos que ele suba com a maior segurança possível.
4. balão é feito com o intuito de causar alegria às pessoas e não para colocar fogo em florestas.
5. A floresta mais próxima de São Paulo e muito distante para que a maioria dos Balões a alcance.
6. Essa mesma floresta esta sofrendo com o desmatamento desordenado e com a ocupação clandestina de imóveis.
7. Se todos balões causassem incêndios, não haveria mais a cidade de São Paulo.
8. Um balão nunca colidiu, ou se aproximou demais de um avião. O deslocamento de ar que o avião provoca e suficientemente forte para destruir um balão a mais de 100 metros de distância. Muitos pássaros entram em turbinas de aviões, e nem por isso vamos extermina-los.
9. Não existe balão com bico de ferro. O peso do bico nao deixaria o balao subir.
10. Um balão é feito com amor e não devoção.
11. Todo baloeiro é um amante da arte, e não um fanático.
12. Procuramos não soltar balões em junho/julho devido as festas juninas ( e estarmos envolvido com sua realização) e também devido as férias.
13. Baloeiro não é bandido nem ladrão, para ser tachado como tal.
14. Se todo brasileiro fosse baloeiro o Brasil seria muito melhor.
15. Baloeiro gosta de balão tanto quanto (ou mais) o brasileiro gosta de futebol.
16. Ser baloeiro é enfeitar o céu sem manchar a terra.
17. Apenas 1,6% dos chamados para os bombeiros têm como motivo o balão. E dentro destes chamados um ou nenhum causou um incêndio.
18. Antes de formar qualquer opinião contra ou a favor dos baloeiros, procure saber dos dois lados.
19. Em São Paulo existem aproximadamente 2.500 turmas de balões, fazendo um total de quinhentas a seiscentas mil pessoas envolvidas diretamente ou indiretamente com essa arte.
20. Portanto existe uma geração de empregos em torno do material utilizado em sua confecção, como : folha de seda, cola, barbante, algodão, etc.
21. Quando se reúnem em festivais, os baloeiros procuram arrecadar alimentos e agasalhos para doações em entidades do local onde será realizado o mesmo.
22. Agora imaginem se realmente o balão desaparecer do Brasil, seria como se proibissem o futebol no pais. Isso acarretará em :
1º Milhares de pessoas olhando para o céu e vendo apenas o cinza da poluição.
2º Baloeiros sem sua maior paixão .
3º Desemprego para aqueles que fornecem materiais.
4º Prisões àqueles que tentassem soltar balões iria piorar a situação, pois eles ficariam presos com bandido, ladrão, estuprador, traficante, assassino, delinqüentes, estelionatários, e com certeza não sairia melhor da cadeia.
23. Estamos nos unindo com a certeza de conseguirmos a solução do problema. Essa lei se baseia em balões antigos e não foi procurado nenhum baloeiro na sua elaboração. Se bem administrada essa arte pode até trazer divisas ao Brasil com o turismo.
24. Imaginem transformar o festival de balões como uma festa de rodeio. Com certeza a cidade que sedia-la será invadida por jovens, velhos e crianças amantes da arte.
25. São idéias para serem debatidas e não exterminadas.
26. Por esses e muitos outros motivos, pense bem antes de nos recriminar.