Exclusivo: Jornalismo Record apresenta cartas de suspeitos da morte de Isabella

Jornalismo:Na manhã desta quinta-feira (03/04) o Jornalismo Record apresentou, com exclusividade, a primeira manifestação do pai da menina Isabella Nardoni, Alexandre Nardoni, e da madrasta Anna Carolina Jatobá. As cartas, escritas de próprio punho, foram enviadas ao repórter Roberto Cabrini nesta madrugada e apresentadas no Hoje em Dia, da Record.


Diz Alexandre: "Eu como pai de três filhos, posso dizer sem dúvida uma coisa, que a Isabella é o maior tesouro da minha vida. Tenho outros filhos meninos, mas a minha menininha era a princesa da casa. A Isabella sempre foi muito carinhosa comigo e com os irmãos dela. Costumava dizer que era a mamãe do meu filho mais novo, o Cauã, e defendia o do meio, o Pietro, acima de tudo. Quando me dei conta que tinha perdido a Isabella, senti naquele momento que meu mundo acabou. Não sei como caminhar. Todos estão me julgando sem ao menos me conhecem, não faria isto com ninguém muito menos com minha filha. Amo a Isabella incondicionalmente e prometi a ela, em frente a seu caixão, que enquanto vivo não sossego, até encontrar este monstro. Tiraram a vida de minha princesa de uma maneira trágica e não me permitem sentir falta dela, pois me condenam por algo que não fiz. Minha filha, como os irmãos dela, são tudo na minha vida, estou sem rumo. Mas confio que Deus me dará forças para vencer esses obstáculos, mostrando o caminho certo para a justiça. Quero minha filha bem, em paz e tenho plena certeza e consciência tranqüila do amor que tenho por ela. Pois por mais que me julguem, só eu e minha filhinha sabemos a dor que estamos sentindo. E o mais importante é que Isa sabe o pai que fui para ela. Minha mãe está a base de calmantes por falta do nosso botão de rosa, como ela diz. Meu pai chora quando lembra dela e quando assiste a cada reportagem. Minha irmã e minha mãe choram pelo que estão fazendo. Tenho muito mais a dizer, mas espero que um dia me escutem como um pai que sofre por sua filha e não como um monstro que não sou. Nós não tínhamos feito nenhuma declaração ainda porque acreditávamos que o caso seria solucionado. Nós não somos os culpados e ainda encontrarão o culpado. Dessa forma não precisaríamos mostrar a nossa imagem porque o nosso sofrimento é muito grande, só que nos acusam. Queremos mostrar o que realmente estamos sentindo. A verdade sempre prevalecerá".

Já a madrasta Anna Carolina Jatobá escreve: "Sei que a palavra madrasta pesa ao ouvido dos outros, mas para a Isa sei que eu era a Tia Carol. Amo ela como amo os meus filhos. Tenho minha consciência tranqüila do carinho que sempre a tratei. Ela adorava me ajudar a cuidar dos irmãos e até ensinou o mais novo a andar. Ele trocava meu colo para ficar com ela. O Pietro chamava a Isa todos os dias e só passou a ir a escola quando a Isa estudava lá. Adorava fazer de tudo para agradá-lo. Ela e o Pietro ligavam sempre para que eu os buscasse. Brincávamos ela, eu e o Pietro de musiquinha, ciranda e de casinha. Eu, o Alexandre e minha sogra fizemos o quarto dela como ela sempre sonhou. Compramos o baú da Hello Kitty. Ela adorava as Princesas da Disney e compramos um abajur. Mas acima de tudo isso o carinho era o que mais contava. Então o que tenho a dizer é que a Isabella era tudo para todos nós. Tenho fé que encontraremos quem fez esta crueldade com nossa pequena. Não tínhamos dado nenhuma declaração porque acreditávamos que o caso seria solucionado. Somos inocentes e a verdade sempre prevalecerá".

Junto com as cartas, datadas de 03 de abril de 2008, foram enviadas oito fotos que comprovam o relacionamento do casal com Isabella. A autenticidade destas cartas foram comprovadas pelo Jornalismo Record.

A reportagem completa com a exibição das fotos e outros detalhes exclusivos sobre o caso será exibida no Domingo Espetacular do próximo fim de semana (04/04).

Fonte:Rede Record/Imagem:Blog do Hoje em Dia

4 Comentários:

3 de abril de 2008 17:09 Regina disse...

Eu quero saber os últimos momentos da família junto com Isabella. Estavam visitando quem? Como se comportaram durante a visita? Em algum momento foi chamada a atenção da menina? Por comportamento, por exemplo? O que jantaram e o que beberam? A que horas deixaram o apartamento para fazer o passeio? Tenho acompanhado e os relatos que são feitos tão somente após a chegada do casal com os filhos. Obrigada.

6 de abril de 2008 16:54 Anônimo disse...

Na minha opinião não há dúvidas de
que o próprio pai e a madrasta
assassinaram a menina Isabella,eles
são dois monstrons,eles deviam ser
torturados todos os dias e noites,
e ainda assim seria pouco para o que eles fizeram,a pena de morte se
existisse no Brasil era pouco para
esses dois crápulas.
Nenhum advogado deveria defender
esse pai e essa madrasta sem escrúpulos,bandidos,vagabundos,
ordinários e assassinos.
ordinários e assasinos

10 de abril de 2008 10:30 Anônimo disse...

alguem ja pensou a posibilidade da
propria mae ter mandado fazer isto.
porque isabelle foi atirada do quarto do irmão e não do seu."derepente não era pra ser ela"

27 de abril de 2008 13:21 Anônimo disse...

sera que os deputados federais estao acompanhando o caso isabella que eles nao possam mudar nossa lei contra esse tipo de crime?